sábado, 26 de maio de 2012

Nevermore! (entenda como quiser)

   Eu e uma galerinha do barulho fomos curtir altas aventuras assistindo O Corvo. O filme, como outras obras, vai tratar dos acontecimentos que poderiam ter acontecido antes da misteriosa morte de Edgar Allan Poe - autor do poema TANDAM O Corvo. Teorias da conspiração é o que não faltam!
   A história é bem simples: em Baltimore (por mais que seja nublada e tenha aquele feeling vitoriano, não, a história não se passa em Londres), crimes começam a acontecer, mas esses crimes não são crimes normais nunca são, eles remetem às histórias do verborrágico e quase fracassado escrito Edgar Allan Poe. Muitos suspeitam do próprio Poe, então ele se une ao detetive Fields para investigar os casos.
   Quase Todo mundo já ouviu falar de Edgar Allan Poe. O cara não é só um dos primeiros escritores com essa pegada mais gore como também é o pai do romance policial. rá, Conan Doyle E a graça desse roteiro é que em algum ponto da biografia de Edgar Allan Poe alguns crimes parecidos com os de seus livros realmente ocorreram e houve boatos de que ele os cometera.
Parece Londres, mas não é Londres
Parece o Jack, o Estripador, mas não é ele.
O filme segue bem essa fórmula de história policial vitoriana (e eu adoro!) com pessoas que têm de confiar muito mais em seus raciocínios do que em um mega computador que processa dados de criminosos fichados. O seu diferencial está na vibe meio Jogos Mortais das mortes - que me deixaram mais do que agoniada - e na diversão que é pra pessoas que conhecem a  obra de Poe eu me surpreendi com o número de histórias que eu conhecia e tentam associar as mortes com as histórias. O próprio Poe, interpretado pelo John Cusack num papel que parece ter sido pensado para o Johnny Depp, é um pessoa bem excêntrica que está sempre falando sem parar quase como um personagem de um livro antigo. Divertidíssimo!
Passei o filme sem entender a fantasia dessa mulher... 
 Os pontos fracos do filme foram justamente que só foram deixar pistas mesmo mais para o final e, claro!, na parte romântica. PORQUEMEUDEUS inventam de pôr romance em tudo? A atriz que faz Emily, o amor proibido de Poe, pode ser bonita, mas é completamente insossa (nível Thor, alguém?) e o roteiro, como sempre, não ajudou muito. Colocaram ela como o impulso final para Edgar Allan Poe participar da investigação, mas tudo poderia ser mais inteligente. Poe merecia isso!
  Apesar do filme não ser uma história de detetives brilhantes, mas sim pessoas quase normais investigando crimes, não pude deixar de notar uma clara inspiração na história "Um estudo em vermelho", do Sir Arthur Conan Doyle, no final do filme adoro figurante que é o culpado!.
     No final, é um filme bem divertido, principalmente se você gosta desses suspenses vitorianos e de ficar morrendo de agonia no cinema. Eu preferiria que o filme tivesse seguido uma outra linha, mas isso sou eu (e se eu falar vou dar spoiler), mas acho digno pra despertar o interesse do povo pelo autor.

P.S.:
> Edgar Allan Poe realmente foi encontrado quase demente repetindo "Reynolds, Reynolds" e ninguém nunca conseguiu explicar isso. Bear it in mind...
> Uma vez a Agatha Christie foi chamada pra depor porque um doente resolveu matar o povo se inspirando nos livros dela. Adoro esse povo criativo!
> Alguém terminou o filme e tá esperando a versão com o Jules Verne?



segunda-feira, 7 de maio de 2012

Aquele com o Thor (que não é o Batista)

    Eita que minha paixão por mitologia ainda vai me matar! Por causa dela eu resolvi assistir Thor; e antes que digam alguma coisa, eu sei que o filme foi baseado nos quadrinhos, mas o quadrinhos por sua vez foram inspirados pela mitologia nórdica, mas anyway.
E o prêmio de Pior Pai do Ano vai para... Odin
A história é basicamente Thor, o filho de Odin - e isso é importante - é o herdeiro, mas é a criatura mais arrogante e despreparada pra tarefa. Um belo dia ele, seu irmão só que não Loki e mais uma galera, influenciados por Thor, fazem uma besteira muuuuito grande e como resultado Odin bane Thor do reino de Asgard e manda ele pra Terra junto com o Mjölnir, o martelo (pausa para o momento de pensar que o que não tá funcionando o povo joga pra cá u.u). E enquanto ele está aqui na Terra, Loki deu a louca em Asgard e ficou com o trono. O resto do filme é Thor querendo o martelo de volta, que está sendo retido por uma organização que conhecemos melhor em Os Vingadores, e Loki fazendo e acontecendo como rei e tentando impedir a volta de Thor.
    PASMEM, mas eu curti o filme. Em Thor a gente tem o que eu disse que faltava em The Avengers: consistência. Entre as cenas de ação - que são muitas e muito bem feitas, claro - e as piadinhas (ri alto várias vezes!) há momentos para os personagens mostrarem quem são. Outra coisa legal é a vibe Shakespeare depois que eu descobri que o Kenneth Branagh dirigiu o filme isso fez bem mais sentido. De quem mais eu lembraria com intrigas palacianas e conflitos tensos entre parentes próximos? VIU? Tem como fazer um filme de ação e aventura sem idiotizar o público. Eles não precisaram fazer nada cult, mas também ninguém reclama de um pouco de profundidade.
  Fiquei satisfeita com a atuação Chris Hemsworth, o adorado Thor. Ele me convenceu na pose de rapaz mimado e arrogante e mesmo as cenas mais dramáticas não ficaram tão ruins como em Os Vingadores. Talvez o texto no outro filme é que não tenha ajudado muito... Muitas pessoas, eu por exemplo, se perguntaram o que a Cisne Negro estava fazendo nesse filme. Deve ser legal fazer um filme mais pra diversão, de vez em quando, e a Natalie Portman mandou bem naquilo que ela podia, dentro da sonsice do personagem dela e do igualmente sonso romance com o Thor (nem vou falar disso porque se o povo ama um filme em que um casal que se conhece em um barco há menos de quatro dia juram amor eterno, eu não tenho mais nada a declarar). E a minha profecia de que o Tom Hiddleston como Loki ofuscaria menino Thor não se concretizou pelos motivos já citados, maaaaaaas ele continua me convencendo e muito! O que são aquelas cenas em que ele começa a chorar de raiva do nada? Desajustado é pouco.
Loki: Am I cursed?
Odin: No. You're adopted.(ele n disse isso, eu que pensei)
   No final o saldo foi positivo (só lá na metade que rola uma parte muito chata, mas depois supera). A história não tem nada de mais, porém junto com as cenas bem feitas (Asgard é LIIIINDA *-*), a trilha sonora do Patrick Doyle e a tal consistência que eu falei, Thor passa a ser um filme agradável de ver, comer pipoca e ficar com a sensação de que se divertiu por uma hora e pouquinho.
Claro que me me diverti ainda mais por fazer a cobertura em tempo real no facebook :x

quarta-feira, 2 de maio de 2012

Not so super, heroes

    Com todo esse hype em torno de Os Vingadores eu tive de parar tudo e ir ver esse filme. Literalmente.
    Vou começar resumindo a história um pouquinho: Marvel cria sua própria Liga da Justiça. Ponto.
Explicando melhor: o vilão da vez é Loki - o já conhecido cara dos chifrinhos e arqui-inimigo do Thor. Para lutar contra Loki e seu plano malévolo alguns herois já conhecidos são chamados, como o Homem de Ferro, o Capitão América esse nome é muito indigno!, a Viúva Negra e o Hulk. O problema é que cada um deles já é recheado de problemas e nem todos estão dispostos a trabalhar em conjunto. E é basicamente isso que interessa no roteiro do filme.

    Se você está achando que minha resenha tem um tom amargo, acertou (apesar de eu amar essas histórias que misturam tudo). Os Vingadores traz alguns probleminhas que o fazem ficar longe , na minha opinião, de fazer jus a todo esse alvoroço de que esse é o melhor filme do ano (wait wat o ano tá em maio oi?). 
     A começar pelo roteiro. Ok, você pode ter amado o filme, mas dizer que aquele roteiro é digno, ele não é. Sinceramente, ninguém parecia estar se importando com o grande plano de Loki e as coisas aconteciam simplesmente por acontecer, como uma colcha de retalhos de cenas de ação e diálogos sarcásticos. Eles flertam com vários plots, mas nenhum tem um grande impacto. O outro probleminha são os atores... Robert Downey Jr. (Homem de Ferro) mesmo interpretando a si mesmo carregou o filme nas costas com uma ajuda do Tom Hiddleston (Loki) - por ser o vilão e todo mundo gosta dos vilões - e do Chris Evans (Capitão América), por conta da implicância mútua com Tony Stark, o que criava situações interessantes. Mark Ruffalo (Hulk) mandou bem e até poderia ter ajudado mas suas aparições não são muitas. Scarlett Johansson parecia só ter duas expressões: a "estou com raiva" e a "já passei por muito sofrimento na minha vida". Menino Thor [/insira nome do ator aqui] é uma porta, uma porta bonita pra quem curte o estilo, mas ainda assim uma porta. 

      Claro que nem tudo é tão ruim que não possa ficar pior assim. Ao contrário do que vocês devem estar pensando eu curto sim as cenas de ação, e óbvio que elas são um deleite. Explosões, brigas, mais explosões, tiros, mais brigas e por aí vai... E as piadas estão muito boas! Sabe aquele humor sarcástico e irônico de super-heroi? sempre tive a impressão que é o estilo de humor deles Tem aos montes! As piadinhas com o Hulk no começo do filme são particularmente hilárias e, claro, o sarcasmo de Rober Home Tony Stark. Mas mesmo as piadinhas começaram a se desgastar no final, porém admito que esse problema parece ter sido só comigo porque o cinema estava morrendo de gargalhar (: Outra coisa boa é a caracterização que vai desde a forma old-fashioned do Capitão América de falar até as diferenças de personalidade mais profundas que é justamente o que dificulta o trabalho em equipe dos Vingadores.
 Não, eu não odiei o filme, mas está longe de ser algo que eu vá citar como o ultimato dos filmes de super-heroi. Muitos podem dizer que nesse estilo de filme roteiro não é importante, mas aí é que eu digo que é sim. Os roteiristas tem de parar de pensar que só porque o público gosta de ação é só isso que ele quer ver; quando isso acontecer aí sim teremos um filme de respeito porque o potencial está TODO ali.

P.S1.: Eu também entendi a referência do "flying monkeys", Cap (y)
P.S2.: Tenho certeza que o filme tá LOTADO de referências aos fãs dos quadrinhos, prestem atenção!
P.S3.: Nunca vou entender figurino de super-heroi. Fato.
P.S4.: Thor, toda vez que você grita "nooooooo" o Ragnarok parece estar mais perto de tão constrangedor que é. Então, por favor, pare. Grata.