quarta-feira, 11 de julho de 2012

The amazing, fresh and fabulous Spider-Man

(o título pode ser uma interna, mas serve bem ao propósito de minha resenha)


  Muitos duvidaram que eu estivesse realmente empolgada pra assistir "O Espetacular Homem-Aranha" e aí Novo Acordo, tem hífen?. A verdade é que o Homem-Aranha era o meu heroi favorito na infância e eu assistia todas as versões do desenho, assisti a trilogia do Sam Raimi mesmo como  nível de vergonha alheia do último filme sendo estratosférico, apesar de eu entender o que quiseram mostrar, e ainda acompanhei por um tempo as brigas e reviravoltas entorno do que seria o quarto filme da trilogia da franquia que acabou virando o primeiro de uma nova franquia e dela veio "The Amazing Spider-Man".
  Esse novo filme reconta a velha história de Peter Parker, rapazinho nerd zoado na escola, que é picado por uma aranha geneticamente modificada e ganha super poderes. Após ocorrer uma infeliz coincidência, menino Parker em vez de procurar um terapeuta, resolve externalizar seus sentimentos virando um justiceiro mascarado. Quando eu digo que o filme reconta, é exatamente isso que ele faz. Os elementos são os mesmos, a história é basicamente a mesma, mas contada de uma forma diferente. Não tão diferente ao ponto de ser uma outra história, mas não tão igual ao ponto de ser um simples remake.
  As tais diferenças são: primeiramente o background do personagem, que no novo filme parece ter saído diretamente do um dos livros de "Desventuras em Série" com pais sumindo e filhos descobrindo que eles faziam parte de alguma sociedade/experimento secreto, com direito a símbolos misteriosos que aparecem, coincidentemente, em vários lugares. Depois temos o novo interesse amoroso de nosso amigo Aranha: Gwen Stacy, uma grata surpresa para os fãs do quadrinhos que se sentiam meio...órfãos da moça e que, graças a Deus, não é sequestrada, porque né?.... E por último temos a grande diferença que é o próprio protagonista, que no filme é menos loser e mais geniozinho e nem precisou estar vestido de super heroi pra mostrar que tem atitude. Logo no início do filme já dá pra perceber que, apesar do moto de "grandes poderes trazem grandes responsabilidades" ainda estar ali, o filme girou muito mais entorno do aprender a lidar com sentimentos de frustração e raiva e de descobrir o que fazer consigo mesmo. 
Hipster.

  Os atores estão todos muito bons em seus papeis (eu demorei pra comprar a ideia do novo ator, porque ele não tem aquela cara de geek sem esperança do Tobey Maguire, porém tudo se ajustou) mas se tem uma coisa que ficou constantemente me trazendo pra fora do filme foram as vezes que Andrew Garfield e Emma Stone apareciam pagando de estudantes do high school. As coisas ficaram ainda mais constrangedoras quando a pobre Stone vem com a frase: "pai, eu tenho 17 anos". Pois é... Não que eu ache que a produção devesse sacrificar atores que deram certo por causa da idade, mas não custava nada mudar o roteiro um pouquinho e jogar todo mundo da faculdade, né? Hollywood vivendo e aprendendo com as séries teen Pelo menos a química entre esses dois é muito boa, o que ajudou bastante na forma repentina com que o roteiro jogou o romance deles. 

  Falando em roteiro... a história é legal, nada pra explodir sua cabeça, mas funciona muito bem para introduzir o novo universo. Os únicos probleminhas foram os momentos meio deus ex machina em que o cosmos conspirava para que as coisas acontecessem do jeito certo ou do jeito errado que é o certo e o pouco foco que deram ao Homem-Aranha faz sentido?, que quando aparece é rapidamente e some sem causar muito alarde. Dá até pra pensar que, sem os poderes, estaríamos assistindo a triste história de um rapaz que, de repente, teve de lidar com muita coisa de uma vez e resolveu dar uma de justiceiro como válvula de escape perae, é isso mesmo!, não sendo isso o principal ponto da história ah tá. Talvez os roteiristas estejam guardando os esquemas pros próximos filmes... e eu aqui querendo altas cenas por entre os prédios
  No final das contas, é um filme divertidíssimo que não me deixa mentir que filme de super heroi pode e deve ter um roteiro consistente e com profundidade não estou pedindo Bergman aqui!. Só não vale ir assistir só pra comparar com a trilogia antiga porque a nova promete ser interessante e tem tudo pra conseguir.
Collant e pose de alongamento. Tá certinho.
(Na pior das hipóteses, pegue o que tem de bom em uma, junta com o que tem de bom no "Espetacular Homem-Aranha" e crie sua própria história :D)

P.S1.: a ponta do Stan Lee foi impagável!!
P.S2.: queria muito ter visto em 3D, não deu. Depois comecei a considerar que meu medo de altura e de aranhas fossem afetar meu divertimento.
P.S3.: esgoto de New York tão primeiro mundo que dá pra passar o metrô por dentro.
P.S4.: "espetacular" não é uma palavra que eu use com frequência e só percebi isso agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário