terça-feira, 1 de janeiro de 2013

As aventuras de 3,14 a.k.a Mogli 2.0


Mogli 2.0
  Quando eu ouvi falar que o premiado Ang Lee ia fazer um filme de um menino com nome esquisito interagindo com animais, imaginei um filme de três horas e meia de duração, com alguns monólogos sobre a vida, o universo e tudo mais, embalado por músicas orientais, em outras palavras: bo-ring, ou pelo menos algo que não me levaria ao cinema. E foi então que eu vi o trailer, que -ao som de Coldplay -  mostrava um tigre lindo, peixinhos serelepes e uma baleia de neon dando saltos ornamentais, animals lover detected eu não poderia perder isso por nada! 
Gatinho...

  E foi depois de já ter visto muita gente falando bem, inclusive leitores do livro, que eu fui ver As aventuras A vida de Pi (me recuso a aceitar essa "tradução" medonha!). A história de um garoto indiano que sobrevive a um naufrágio e fica à deriva em um bote salva vidas com a melhor das companhias possíveis em uma situação como essas, um tigre de bengala adulto! E agora, José? 

Eu não teria metade dessas ideias...
  Sambada na minha cara porque de filme cult conceitual de quatro horas de duração A vid As aventuras de Pi não tem nada! Como você conseguiu isso, mr. Lee? A dificuldade em adaptar uma história dessas, em que o protagonista está basicamente conversando consigo mesmo, ou no caso com um animal que - por não ser da Disney - não vai responder, é enorme, porém em nenhum momento a narrativa fica pesada e o filme alterna, quase de brincadeira, entre momentos engraçados e momentos de drama, ou momentos dramaticamente engraçados (Pi é meio adepto do Jogo do Contente, mas de uma forma irônica demais para a apreciação de menina Pollyanna).
O melhor é quando vamos pra baleia...
  Filme bonito, história bonita, música bonita, bichos bonitos, e o carisma quase impossível do ator principal, o que é importante já que é só ele praticamente... E POR FAVOR, assistam em 3D, que vale muito a pena, os efeitos são es-pe-ta-cu-la-res tem um céu de aquarela, aquarela! As cenas são maravilhosas, e o que são aqueles bichos?! A trilha sonora fez uma mistura louca com temas indianos e temas franceses (!!) e funciona bem no filme, apesar de não se destacar (aconselho ouvir depois).
  No mais, vejo as coisas ficarem um pouco difíceis para nosso amado Peter Jackson no quesito premiações. E, vindo de uma fã de Tolkien que esperou 10 anos pelo Hobbit, As aventuras de Pi foi o meu filme favorito desse fim de ano (:

P.S1.: Em Paris, teve um cinema que colocou todo mundo pra ver o filme em pequenos botes. Franceses elevando o 3D à quarta dimensão...
Se a moda pegar, veremos Homem-Aranha
do alto de prédios!
P.S2.: Sou só eu ou quando eu gosto do filme minhas resenhas são mais comportadas?

14 comentários:

  1. Pena que Yann Martel, o autor de "The life of Pi", nao menciona adequadamente que o "spark of life" do seu best-seller eh o livro chamado "Max e os felinos " do brasileiro Moacir Scliar

    http://baixacultura.org/2011/03/04/o-plagio-de-moacyr-scliar/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu conheço essa história, inclusive até postei no facebook o link pra entrevista que o Moacyr Scliar deu.
      Assim, essa é uma resenha do filme e dele somente, não entrei nas questões sobre o livro, mas o próprio Scliar disse que os livros seguem caminhos bem diferentes e que ele não podia patentear as ideias... Mas claro que não deixa de gerar uma certa revolta contra o autor, mas espero que essa revolta não atrapalhe a apreciação da obra em si.

      Excluir
    2. Ele disse que não copiou, mas no fundo ele só não queria se aborrecer =.='.

      Excluir
    3. Com certeza! Mas, sei lá, não vou tirar o mérito do filme (que, teoricamente, não tem nada a ver com isso). Continuo achando recomendadíssimo (:

      Excluir
  2. Vevs!
    Adorei o post. Se eu tinha dúvidas, ok, VOCÊ ME CONVENCEU. Meu receio era mais porque embora eu chore com propaganda da Quali, não sabia muito bem o que esperar do filme. Minha ideia, até então, era de algo meio auto-ajuda com um toque de todas as religiões do mundo. Mas como falo sozinha e aparentemente o personagem também (já que o tigre não é da Disney, adorei essa parte do texto), vou me identificar.

    Beijão!
    >> Nine

    ResponderExcluir
  3. Olá! Te acompanho no vlog há um tempinho, e NOSSA, TU ME DEIXOU MOR-REN-DO de vontade de ler/assistir A vida de Pi. Sérião. Doctor Who também. ENFIM, obrigada! haha

    Beijo, Dani.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilty HAHAHAHAHAHA
      Fico muito feliz em ter te convencido! Eu que agradeço por você acompanhar o canal e passar aqui no blog.
      Enfim, espero que goste de Pi e de Doctor Who. Altamente recomendados mesmo (:

      Excluir
  4. eu não gostei do filme,eu só vi o filme porque eu vi um vídeo e pela narrativa do filme que eu vi nesse vídeo,eu resolvi ver,o filme deixa muitos espaços em branco que não é explicado,eu também não gostei da parte que ele conta a história verdadeira,não aparece ele como aparece quando ele conta a história,o cara do filme é um vegetariano hipocrita que não come carne,mas se alimenta de carne humana e animal,eu acho que quem fez o filme deveria explorar mais tempo na ilha e parar de focar só no mar e aquelas alucinações que ele vê no filme são muito ruim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que você foi ver o filme esperando uma coisa e te entregaram outra. É péssimo quando isso acontece.
      Bem, tem coisas que são melhor explicadas no livro, claro. Como não sei exatamente o que te incomodou, não tem como eu dizer.
      Eu vi muita gente reclamando da escolha do Ang Lee em não mostrar a segunda história como ele mostrou a primeira. Eu acho que pelo impacto desta, a outra acabaria sendo ofuscada, e a intenção do filme foi justamente tentar balancear as duas. E, pelo menos pra mim, achei bem forte mostrarem só o rosto do Pi contando a história. Gosto dessas cenas... minimalistas (???)
      Você falou das alucinações, engraçado que a ilha é a maior delas, não? O filme acaba sendo mesmo um conjunto de "aventuras", são várias eventos juntos mostrando as tentativas de sobrevivência de Pi.
      Agora sobre ele ser um vegetariano hipócrita, esse é um dos maiores dilemas da história (e no livro, novamente, é melhor explicado). Ele, como hindu, não come carne vermelha, a história tenta mostrar como Pi se rendeu aos instintos mais primitivos ao se encontrar naquela situação (algo parecido com o que acontece no Senhor das Moscas). Daí ele passar a comer carne pra sobreviver. Quando o problema passou, ele voltou ao seu "eu normal", ainda mais depois do trauma de ter de cometer canibalismo.

      Excluir
    2. eu não gostei das alucinações que ele tinha daquele azul

      eu estava pensando a possibilidade do richard paker nem existir de verdade,ele ser apenas o lado selvagem do pi,repreendido pela religião,eu acho isso por dois motivos,primeiro pelo nome do richard paker não ser esse e sim sedento e do pi,não ser pi e sim piscine,alguma coisa e pelo fato do que acontece depois do naufragio

      eu acho que depois do naufrágio e longe da sociedade,o pi pode deixar o seu lado selvagem a solta,ai ele comeu carne de todos os tipos,mas quando ele chegou a ilha,ele notou que ele poderia viver lá para sempre comendo carne,mas ai ele notou que aquilo varia ele parar de ser ele,ai ele resolveu ir embora

      quando ele chega na civilização,ele não consegue,mas manter o lado selvagem dele preso por causa do que aconteceu com ele quando ele estava no mar,ai ele abandona aquele lado e vive uma vida de vegetariano,isso que significa o richard paker indo embora sem olhar para trás

      a minha interpretação pode ser um pouco estranha,mas eu fiquei pensando nisso desde que eu vi o filme

      Excluir
  5. eu vi o seu vídeo sobre a vida de pi,eu não me senti mal comendo carne depois de ver ele,eu acho que o pi deveria aceitar que ele comeu pessoas e animais e parar de ser vegetariano,eu acho que o pi é uma pessoa muito estranha que nunca existiria no mundo real principalmente pela parte religiosa dele,como pode uma pessoa seguir 3 religiões diferentes? e por causa do vegetarianismo hipocrita dele

    você não gosta mesmo de comer carne?

    carne vermelha é até melhor que carne branca,um churrasco é a melhor coisa que tem

    a história verdadeira é que faz mais sentido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você que comentou ali em cima, né?
      Como o teor dos comentários é diferentes, vou responder de novo, tá? (:
      Eu não enxerguei problema nele ter três religiões (considerando que um dos motos do livro é a questão metafísica). Aliás, achei uma sambada na cara de quem fica brigando pra saber qual religião é mais correta. O cara conseguiu conciliar três, buscando o que cada uma podia trazer de melhor, e foi feliz!
      De novo, não acho que era vegetarianismo hipócrita. Ele sempre foi vegetariano, quando náufrago se viu obrigada a abrir mão disso para sobreviver, e esse é um dos grandes dilemas da história.
      Eu sempre ouvi que carne vermelha em excesso faz mal, mas meu problema não é esse. O gosto simplesmente não me atrai. Gosto mais de peixe. Diversos tipos de peixe preparados das mais diversas formas.
      Sobre a história verdadeira... No livro eu achei bem mais ambíguo, mas no filme realmente ficou tendencioso pra segunda história. Mas o foco não é qual é a verdadeira, e sim qual você prefere. Acho que essa é a grande sacada!

      Excluir
    2. o hinduísmo,diz que existem vários deuses,o cristianismo diz que existe um só,o islamismo a mesma coisa,mas discorda de algumas coisas do cristianismo,ou seja as três religiões são contrarias

      tudo em excesso faz mal,até agua em excesso faz mal,eu acho que se uma pessoa beber mais de 20 litros de agua por dia,ela morre,pois as celulas estorram por causa do excesso de água

      no filme,a versão mais lógica é a segunda isso não da para negar,por tanto as pessoas se sentem mais inclinadas a fazer acreditar na segunda,eu acho que é possivel que exista uma terceira versão da história,contendo elementos que o pi não contou,mas isso nós nunca saberemos

      a primeira história não faz sentido por um motivo,o navio está afundando e alguém decide abrir as jaulas dos animais,no caso do tigre,ele poderia até matar a pessoa que a abrisse,no caso de um navio afundando,as pessoas pensam em salvar a sua pele e nada mais

      Excluir
  6. Oi Vevs, fiz uma resenha sobre o A Vida de Pi no meu blog também. Com uma outra pegada. Vê o que vc acha: http://chrysospupa.blogspot.com.br/2013/11/a-vida-de-pi-o-livro.html.
    Abs!

    ResponderExcluir